quinta-feira, 29 de março de 2012

Millôr Fernandes

(1924-2012)

Morre, no dia 27 de Março de 2012 um ilustre brasileiro, carioca, nascido no Méier( Rio de Janeiro),  que foi ( e é, pois as obras ficam, elas não morrem ) dramaturgo, poeta, escritor, jornalista e cartunista... sociólogo amador ( segundo ele mesmo ), observador  de pessoas fino e inteligente, enfrentou a ditadura com muito bom humor, jogando Pif-Paf ( tablóide de humor ) com palavras e charges inteligentes, aliviando enfim, a dita dureza da época...  Sua vasta obra atesta, por si só a genialidade de Millôr. Deixou um site, onde tem muito de si e de sua obra.
Já faz falta, Mestre... fiquei  triste.
POESIA MATEMÁTICA (Millôr Fernandes)

Um Quociente apaixonou-se
Um dia
Doidamente
Por uma Incógnita.

Olhou-a com seu olhar inumerável
E viu-a, do Ápice à Base...

Uma Figura Ímpar;
Olhos rombóides, boca trapezóide,
Corpo ortogonal, seios esferóides.

Fez da sua
Uma vida
Paralela à dela.

Até que se encontraram
No Infinito.

"Quem és tu?" indagou ele
Com ânsia radical.

"Sou a soma do quadrado dos catetos.
Mas pode chamar-me Hipotenusa."

E de falarem descobriram que eram
- O que, em aritmética, corresponde
A alma irmãs -
Primos-entre-si.

E assim se amaram
Ao quadrado da velocidade da luz.

Numa sexta potenciação
Traçando
Ao sabor do momento
E da paixão
Retas, curvas, círculos e linhas sinoidais.

Escandalizaram os ortodoxos
Das fórmulas euclideanas
E os exegetas do Universo Finito.

Romperam convenções newtonianas
E pitagóricas.
E, enfim, resolveram casar-se.

Constituir um lar.
Mais que um lar.
Uma Perpendicular.

Convidaram para padrinhos
O Poliedro e a Bissetriz.

E fizeram planos, equações e
Diagramas para o futuro
Sonhando com uma felicidade
Integral
E diferencial.

E casaram-se e tiveram
Uma secante e três cones
Muito engraçadinhos.

E foram felizes
Até àquele dia
Em que tudo, afinal,
Se torna monotonia.
Foi então que surgiu
O Máximo Divisor Comum...

Frequentador de Círculos Concêntricos.
Viciosos.
Ofereceu-lhe, a ela,
Uma Grandeza Absoluta,
E reduziu-a a um Denominador Comum.

Ele, Quociente, percebeu
Que com ela não formava mais Um Todo.
Uma Unidade.

Era o Triângulo,
Chamado amoroso.
E desse problema ela era a fracção
Mais ordinária.

Mas foi então que Einstein descobriu a
Relatividade.
E tudo que era expúrio passou a ser
Moralidade

Como aliás, em qualquer
Sociedade.

6 comentários:

  1. Felice week end...ciao

    ResponderExcluir
  2. GRACIAS POR SEGUIRME, te voy a seguir tambien. Suerte desde Buenos Aires!

    ResponderExcluir
  3. Lindo e fazer olhar a matematica de outro jeito . Gostei bj amiga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele era um gênio das palavras... Bjs

      Excluir
  4. Vim visitei gostei fiquei - Bela mensagem no perfil!

    E Millôr dispensa comentários.

    Abraço, volto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fique à vontade, e muito obrigado!

      Excluir